3 de dez de 2016

Diversidade marca a abertura da 11ª edição da Aldeia Sesc Guajajara de Artes



Com o Show “Selvagem Transcendental” a Maranhense Nathalia Ferro, marcou a abertura da 11ª edição da Aldeia Sesc Guajajara de Artes e agitou o grande publico presente na Praça Nauro Machado, na noite de ontem. Trazendo em suas letras temáticas sociais, além do foco feminino muito presente, Nathalia acredita e expõe as causas que defende através da arte. A cantora destaca ainda, o amor que deu e recebeu do publico presente no show, que além de contar com canções e interpretações, contou ainda com performances realizadas pela cantora. Abrindo a noite pro Pernambucano Johnny Hooker, ‘’Selvagem Transcendental”, teve suas bases eletrônicas feitas pelas PE.ACE (Rafael Paz, Ruan Paz e Jacksciene Guedes) e reunião da banda composta por André Grolli, João Simas e Marlon Silva, que realizaram o primeiro álbum da cantora, “Instante”.

Já a atração nacional mais aguardada da noite, em sua primeira vez em São Luis, Johnny Hooker, veio para impactar o publico com o frevo, samba e música romântica, na melhor fórmula dor-de-cotovelo que se misturam ao rock e a refrões poderosos, criando um autêntico popstar a Brasileira. Promovendo um trabalho que desafia gênero, linguagens, Johnny reafirmou seu discurso contrário a qualquer tipo de preconceito e proporcionou uma noite magica ao seu publico caloroso. Se despedindo de sua turnê, destacou São Luis como uma capital onde existe uma grande confluência de ritmos e cultura popular, misturados com uma onda pop e jovem, e o Norte - Nordeste como regiões onde ‘’o Brasil é mais Brasil’’. Além dos grandes sucessos do artista, o show contou ainda com intepretações das musicas ‘’Garçom’’ de Reginaldo Rossi e ‘’Pense Em Mim’’ de Leandro & Leonardo.

Nesse ano, as propostas para a 11ª Aldeia Sesc Guajajara dissolvem os contornos dos gêneros artísticos, explorando novos cenários para realização da mostra. Além dos shows musicais, mostras de cinema, exposições, intervenções urbanas, apresentações de espetáculos e performances, dentre outras ações, o festival oferece um conjunto de ações formativas que contribuem significativamente para a qualificação de profissionais, produtores, estudantes e comunidade em geral.

Após o êxito de sua edição comemorativa de 10 anos, a Aldeia mantém seu perfil inquietante, caleidoscópico e inovador, com uma programação que pretende fixar cada vez mais a marca Sesc na dinamização do calendário cultural do estado.

A aldeia antropofágica acontece de 02 a 08 de novembro. Participe!

Texto: Ascom/ 11ªAldeia Sesc Guajajaras de Arte
Foto: Fausto Ricardo

Arrastão cultural do Sesc marca abertura da 11ª Aldeia Sesc Guajajara de Artes




Provocando as mais diversas reações, a tradicional comitiva lúdica que marca a abertura do Aldeia Sesc Guajajara de Artes não passou desapercebido no Centro da cidade.  Na Rua Grande pessoas de todas as idades se encantaram com o movimento e por alguns instantes pararam suas tarefas, registrando com os olhos e celulares a festa de cores e ritmos promovida pelo Sesc, um verdadeiro arrastão cultural.

De guarda-chuvas grafitados, personagens teatrais com enfáticas caracterizações, grupos de dança afro e artistas circenses, todos envolveram e surpreenderam o público, despertando curiosidade e também interesse pelo maior evento cultural do Sesc.

As ladeiras do Centro Histórico vibraram ao balanço de marchinhas de carnaval e de toadas de tambores. Transeuntes, moradores e pessoas que trabalham no local prestigiaram o cortejo que finalizou com uma apresentação pirotécnica na Praça Nauro Machado.

O servidor público Douglas Medeiro (44) ainda não conhecia o projeto e achou muito interessante o cortejo. “Essa riqueza artístico-cultural foi uma bela surpresa ao final da tarde. Vou dá uma olhada na programação e participar dessa maravilhosa iniciativa”, revelou. A comerciária Raquel Mendes (28) também aprovou e se divertiu com o cortejo artístico da Aldeia Sesc Guajajara e revelou que é uma amante da sétima arte.

Participaram da abertura do evento os grupos: “Bloco Afro Juremê” (Associação Cultural e Beneficente Juremê/MA), “Imaginautas /DeOlhoNoMuseu” (Célula Mater/PE), “O Circo tá na Rua” (MA), “Procissão dos Ossos” (Casa do Sol Cia de Artes/MA), "Tambor de Crioula Manto de São Benedito”(MA) e “Voo dos Pássaros” (Trupe Huhuhu Circo Teatro/MA).

Depois de uma década de sucesso, a 11ª Aldeia Sesc Guajajara de Artes que acontece de 2 a 8 de dezembro, mantém seu perfil inquietante e inovador, com uma programação que pretende fixar cada vez mais a marca Sesc na dinamização do calendário cultural do estado. Inspirando-se na imagem de uma Aldeia Antropofágica, o projeto devora a cidade e a si própria, propondo um diversificado repertório de ações, em vários espaços da cidade de São Luís. Durante os sete dias de programação, o festival conta com apresentações de Artes Cênicas e Visuais, Música, Cinema, Literatura, Performances, Intervenções, oficinas, e muito mais. 



Fonte: Texto: Ascom Sesc/ Foto: Imperatriz Fotos

1 de dez de 2016

"Oficina de maquiagem criativa e performantividades: drag além das fronteiras”.


E amanhã se iniciam as ações formativas da 11ª Aldeia Sesc Guajajara de Artes. Artista visual, performer, integrante do Drag-se, Alma Negrot – alterego-ciborgue-voodoooqueen de Raphael Jacques/RJ realizará a imersão "Oficina de maquiagem criativa e performantividades: drag além das fronteiras”.

A imersão é uma oficina que busca a ressignificação do corpo através da manufatura e de exercícios de performatividade. Unindo distindos universos de maquiagem, dragqueen, butoh e pintura intuitiva, o grupo é levado a experimentar novas formas de devires através do estado de transformação constante durante o processo.

O artista propõe uma oficina de maquiagem que tem foco em soluções alternativas que vão além da make-up de drag queen, mais próximas de referências como o club kid, além de sombras e pancakes, utilizando papel para compor a transformação visual. O objetivo é estimular um espírito de coletividade, onde compartilha-se referências do mundo da performance e é possível vivenciar o ato de “transformar-se” para buscar nossa expressão individual mais genuína.

A oficina se dividirá em duas turmas, nos dias 02 e 03/12 (Turma I) e 04 e 05/12 (Turma II), no horário de 09h às 12h, na Guest House (Rua da Palma, 142, Praia Grande).

Os participantes devem levar pancakes, sombras, todo tipo de maquiagem, papéis, tecidos, tintas, plumas e espelho de mão. Todo material pode ser aproveitado.

As inscrições (gratuitas) podem ser realizadas através de solicitação de ficha pelo email aldeiasescguajajaradeartes@gmail.com . Participem!!!










30 de nov de 2016

PROGRAMAÇÃO COMPLETA DA 11ª ALDEIA SESC GUAJAJARAS DE ARTES.


     


Depois de uma década de sucesso, a 11ª Aldeia Sesc Guajajaras de Artes que acontece de 02 a 08 de dezembro, mantém seu perfil inquietante e inovador, com uma programação que pretende fixar cada vez mais a marca Sesc na dinamização do calendário cultural do estado.  Inspirando-se na imagem de uma Aldeia Antropofágica, a Aldeia devora a cidade e a si própria, propondo um diversificado repertório de ações, em vários espaços da cidade de São Luís.

Durante os 07 dias de programação o festival conta com apresentações de Artes Cênicas e Visuais, Música, Cinema, Literatura, Performances, Intervenções, oficinas, e muito mais

 CONFIRA PROGRAMAÇÃO COMPLETA:


PROGRAMAÇÃO DE ABERTURA 

Dia 02/12 (sexta-feira)

16h às 18h

Cortejo Artístico
“Bloco Afro Juremê”, com Associação Cultural e Beneficente Juremê/MA
“Imaginautas: DeOlhoNoMuseu”, com Célula Mater/PE
“O Circo tá na Rua”, com O Circo tá na Rua/MA
“Procissão dos Ossos”, com Casa do Sol Cia de Artes/MA
“Por trás da cena”, com alunos dos cursos de dança e teatro do Sesc
“Tambor de Crioula Manto de São Benedito”, com Tambor de Crioula Manto de São Benedito/MA
“Voo dos Pássaros” com Trupe Huhuhu Circo Teatro/MA
“Xangô Caô”, com grupo do Trabalho Social com Idosos – TSI/ Sesc

Concentração dos grupos às 15h no Sesc Deodoro

Circuito: Praça Deodoro, Rua Grande, Largo do Carmo, Beco da Pacotilha, Rua do Giz e Praça Nauro Machado

 PROGRAMAÇÃO NAURO MACHADO 


8h às 23h Feirinha Criativa e Praça de Alimentação
9h Circuito Hip Hop: Lançamento do Projeto “Dançando nos Bairros”, com Movimento Dança de Rua/ MA
21h Show "Selvagem Transcendental”, com Nathália Ferro/ MA
22h Show “Eu vou fazer uma macumba pra te amarrar, maldito!”, com Johnny Hooker/PE 

ARTES CÊNICAS E MÚSICA





03/12 (sábado) CENA QUEER

20h Discotecagem Queer, com DJ Jorge Choairy/MA
20 às 23h Videoarte “Sequelas”, com Siccor/MA
20h Performance-Montação "Armadura", com Alma Negrot/RJ
21h Pocket show “Peacemakers”, com PE.ACE/MA
Local: Guest House


04/12 (domingo)


16h Espetáculo infantil “Amados Inanimados”, com Tapete Criações Cênicas
Praia do Bomfim 


05/12 (segunda) 

17h Espetáculo teatral “As histórias de Magá”, com Cia Teatral Cata e Conta/MA
Praça Nauro Machado


06/12 (terça-feira)

16h às 19h Performance “R.E.V.O.L.T.A.”, com Sara Panamby/RJ
Largo da Cafua das Mercês(Desterro)

17h Performance “O’Culto”, com Ruan Paz/MA
Praça Deodoro

07/12 (quarta-feira)


18h
Espetáculo teatral “Contos Africanos”, com Urias de Oliveira/MA
Sala Cecílio Sá - LaborartePúblico limitado*
19h Espetáculo de Dança “Entre ver”, com Denise Stutz/MG
Teatro João do Vale


NOITE ANTROPOFÁGICA

20h “Discoteca’bregagem”, com Gê Viana/MA
20h40 Performance “Ponto de FleXa”, com Vinicius Viana/MA
21h Show “Muntuêra gambiarra musical”, com Cofo de Parafernalha/MA 
Projeto Sesc Pauta das Artes*
21h40 Performance “Madalenas”, com Cia Nha Caboca
22h Videoperformance “Cazumba Cajueiro”, com Coletivo Residência 05/MA
22h30 Show “A África é aqui”, com Hélio Ramalho/Cabo Verde 
Projeto Sesc Pauta das Artes*Fonte do Ribeirão (Centro) 


OVER12H


08/12 (quinta-feira)12h às 00h


PROGRAMAÇÃO SESC DEODORO - 12h às 17h

3ª Mostra Sesc de Hip Hop
Discotecagem DJ Ramylton/MA
13h30 Apresentação de solos e duos
14h30 Apresentação de grupos
15h Batalha All Style
16h Batalha de B. Boys
16h30 Performance “Ríspido: Inquietudes e Inconstâncias”, com Jean Mendes - Consequência do Som/RS

PROGRAMAÇÃO PRAIA GRANDE - 16h às 00h

16h Espetáculo infantil “Amados Inanimados”, com Tapete Criações Cênicas
Teatro João do Vale 

16h Cine Sesc Mostra Ópera na Tela “Os Capuleto e os Montéquio” – 2h35
Cine Praia Grande 

17h Intervenção “Tapete de Crochés”, com o Grupo Linhas/MA
18h às 23h Feirinha Criativa e Praça de Alimentação
18h Espetáculo “Banquete Brasileiro – Farofa”, com Coletivo DiBando/MA
Praça Nauro Machado 19h Espetáculo teatral “As três fiandeiras”, com Grupo Xama Teatro & Petite Mort/MA
Pequena Companhia de Teatro
Público limitado*


20h Discotecagem “Vinil e uma noites”, com Célula Mater/PE
Intervenção “Fotofagia”, com Daniel Sena + Coletivo Imperatriz Fotos/MA
21h Intervenção “In-concretus”, de Raurício Barbosa/MA
22h Show “Aerofone”, com Diamante Gold/MA
Projeto Sesc Pauta das Artes*

22h30 Performance “Exxpurgo”, com o grupo Teatrodança/MA
23h Show “Galaxy Species”, com Soulvenir/MA
 


LITERATURA E BIBLIOTECA


03/12 (sábado)

16h30 Intervenção “Bibliocicleta” com Coletivo Residência 05/MA
Concentração:Sesc Comunidade (Raposa) 


05/12 (segunda)

9h Contação de HistóriasHistórias para contar”, com Cia Nhá Caboca/MA
UEB Newton Neves (Vila Palmeira)
9h Contação de HistóriasUm índio e a Natureza”, com Tapete Criações Cênicas/MA
UI Criança Esperança(Raposa)

14h Performance Poética “Palavras viajantes”, com Tapete Criações Cênicas 
UEB Newton Neves (Vila Palmeira)

 06/12 (terça-feira)

9h Contação de Histórias “Abayomi conta histórias”, com Tapete Criações Cênicas/MA
Escola Municipal Parque Vitória (Parque Vitória)
9h Contação de Histórias
Histórias para contar”, com Cia Nhá Caboca/MA
 UEB Olívio Castello Branco (Anil)


9h Aldeia Literária

- Bate-papo com o escritor Wilson Marques/MA
- Musical “Pisa na Fulô” com alunos da EM Maria Elisa Almeida Silva
- Café literário, apresentação teatral e exposição biográfica sobre João do Vale
Escola Municipal Maria Elisa Almeida Silva (São José de Ribamar)
14h Contação de Histórias
“Abayomi conta histórias”, com Tapete Criações Cênicas/MA
Escola Municipal Parque Vitória (Parque Vitória)
14h Contação de Histórias
Histórias para contar”, com Cia Nhá Caboca/MA
UEB Olívio Castello Branco (Anil)


07/12 (quarta-feira)

9h Performance poética “Palavras Viajantes”,  com Tapete Criações Cênicas/MA
UI João Paulo II (Planalto Turú)
11h às 16h Troque Ideias, Troque Livros (Escambo de livros) Biblioteca Rosa Castro (Sesc Centro)14h Contação de Histórias “Abayomi conta histórias”, com Tapete Criações Cênicas/MA
UI João Paulo II (Planalto Turú) 


SARAU TUPINAMBÁ


Jardim do Museu Histórico e Artístico do Maranhão

Microfone aberto, intervenções, performances, música e ponche
 

06/12 (terça-feira)

 
17h Intervenção “AGRADE-se Museu”, com Célula Mater/PE
18h Palestra-performance “A dimensão artística da poesia no contexto contemporâneo” com Diego Dourado/MA
Galeria Floriano Teixeira

18h40 Declamação de cordel com o poeta Pedro Costa
Sesc Amazônia das Artes*19h Show “Chorando na Praça”, com o Grupo Regional Deu Branco/MA
Projeto Sesc Pauta das Artes*
20h Intervenção “Carcaça”, com Josoaldo Lima Rego e André Lucap/MA
21h Performance “Mordomo”, com Felipe Torres/MA

Exposição “Tempo de Almanaque”- Sesc02 a 16/12Segunda a sexta
9 as 13 e 14 as 18h
Galeria Trapiche Santo Ângelo (Praia Grande)


 CINEMA - ÓPERA NA TELA/FESTIVAL DE FILMES DE ÓPERA

 

03 de dezembro (Sábado)18h – “O Barbeiro de Sevilha” – 2h56Bate papo
04 de dezembro (Domingo)18h – “Aída” – 2h30
05 de dezembro (2ª feira)16h – “A Flauta Mágica” – 2h30 

06 de dezembro/2016 (3ª feira)16h – “A noiva do Czar” – 2h32 
07 de dezembro/2016 (4ª feira)16h – “O rapto no harém” – 3h01
08 de dezembro/2016 (5ª feira)16h – “Os Capuleto e os Montéquio” – 2h35 *

 Entrada gratuita. Distribuição de ingressos 30min antes, na bilheteria do Cinema.
 

ARTES VISUAIS



Projeto Mãos à ObraExposição “Relevos Sensoriais”, de João Carlos Pimentel, Mônica Farias e Paulo César/MA
Período: 13/11 a 18/12
Horário: 9h às 12h / 14h às 17h
Local: Galeria de Arte do Sesc

 Intervenção urbana “Pedaço” com C. L. Salvaro/MG

Período: 02 a 08/12
Local: Rua do Mocambo ou em qualquer pedaço (Centro)


Intervenção urbana “Marias”, com Zeferina/PRPeríodo: 02 a 08/12
Local: Rua João Vital (Praia Grande)

Site Specific “Desalinho: formas de diálogo com o público e o espaço”, de Marcos Ferreira/MA
Período: 03/12/16 a 13/01/17
Local: Museu Histórico e Artístico do Maranhão

Intervenção “Cardume”, com Grupo Linhas/MA

Data: 04/12
Local: Praça Nauro Machado


Site Specific “Mil Maneiras de Matar um Monstro”, de Cibelle Cavalli Bastos/SP
Período: 06/12/16 a 13/01/17
Local: Museu Histórico e Artístico do Maranhão

Intervenção “Tapete de Crochés”, com Grupo Linhas/MAData: 06/12
Horário: 16h30
Local: Praça Nauro Machado
 

AÇÕES FORMATIVAS


Imersão “Oficina de maquiagem criativa e performantividades: drag além das fronteiras” com Alma Negrot/RJ
Turma I
Dias: 02 e 03/12
Horário: 09h às 12h
Turma II
Dia: 04 e 05/12
Horário: 09h às 12h
Local: Guest House


Oficina “Corpo presente: O corpo - improvisação - criação” com Denise Stutz/MGDias: 02 a 06/12
Horário: 14 às 18h
Local: Guest House

Oficina de Hip Hop, com Jean Mendes - Consequência do Som/RSDias: 06 e 07/12
Turma I Visual Hip Hop Horário: 17h às 18h30
Turma II Commercial Hip Hop Horário: 19h30 às 21h
Local: Sesc Deodoro
 
Café com Fórum Maranhense de Artes Cênicas

Roda de diálogos: “Vamos falar sobre Performance?”Dia: 03/12
Horário: 17h

Roda de diálogos: “Fomento e circulação dos grupos e artistas”
Dia: 04/12/16Horário: 17hLocal: Hall do Centro de Criatividade Odylo Costa, filho(Praia Grande)


Roda de diálogos “Exposição Tempo de Almanaque”, com prof. Me. Beatriz de Jesus Sousa/COLUN-UFMA
Dia: 06/12Horário: 16hLocal: Galeria Trapiche Santo Ângelo

Palestra “Nano-política da empatia e o desprogramar”, com Cibelle Cavalli Bastos/SP
Dia: 06/12Horário: 17hLocal: Galeria Floriano Teixeira - MHAM

Conversa “Dos lugares que se ligam”, com Cleverson Salvaro/MGDia: 07/12Horário: 16hLocal: Chão SLZ  


*As inscrições (gratuitas) podem ser realizadas através de solicitação de ficha pelo email aldeiasescguajajaradeartes@gmail.com . Participem!!!

* VAGAS LIMITADAS

 

PROGRAMAÇÃO CAIA NA REDE



Com a Programação Caia na Rede, a Aldeia aprofunda a relação com os coletivos, produtores independentes e aparelhos culturais da cidade, como recurso estratégico de difusão e ampliação das programações por meio de parcerias e ações conjuntas.




 PROGRAMA DE ARTISTAS RESIDENTES
21/11 a 17/12

Na programação de Artes Visuais, a Aldeia propõe novos formatos de pesquisa e criação com a seleção de dois artistas para um processo de residência artística no Chão Slz e a realização de dois projetos inéditos, a partir da vivência na cidade. A paulista Cibelle Cavalli Bastos intervém no Museu Histórico e Artístico do Maranhão e o paranaense/mineiro Cleverson Salvaro na Rua do Mocambo, ambos no Centro de São Luís. O Chão SLZ é um projeto voltado às práticas de formação não convencionais, com um formato de programação continuamente alternado. Atualmente é coordenado por Camila Grimaldi, Dinho Araújo, Thiago Martins e Samantha Moreira.


SEBO NO CHÃO
04/12 (domingo)

Praça Nossa Senhora de Nazaré (Cohatrac) 


18h Venda e troca de livros
Brechó Feira da Tralha
Exposição fotográfica “Cajueiro pelo Cajueiro” e exibição do curta “Pare, olhe e escute”, com Coletivo Nódoa/MA
Projeção fotográfica “Nosso Terraço-Nosso Quintal”, de Claudia Marreiros/MA
Feira gastronômica de comida vegana, com Detox, Seu Vitor e Vegtropic (Cybele Oliveira)
Discotecagem “Claustroflowbia” com DJ Abiodun/MA e Erick End/MA
19h Espetáculo teatral “ZZZ Sganarelle”, com a Cia Cambalhotas/MA
Shows musicais20h “Faz escuro, mas eu canto”, com Paulão/MA
21h “Cinzel”, com Ninfas Equatoriais/MA
22h “Ânima”, com Todos os fogos/ MA
23h “Psico-tropicais”, com Beto Ehongue & Canelas Preta/MA 

Projeto Sesc Pauta das Artes*

SARAU DE SEGUNDA
Coletivos de Ocupação: Black & Company, Amorzinho de Brechó, Brechó Maria Joaquina, Grito Literário, Movimento Sebo no Chão, Manaluna, Lotus Store, Arte Namah, Pit Stop Food Bikes.

05/12 (segunda-feira)

SARAU DA DIVERSIDADE
Praça Nauro Machado

18h Roda de Conversa: Gênero, Sexualidade e Cultura LGBT
19h DJ Tieza/MA + Palco Aberto ao Chapéu
20h30 DJ Garcez/MA
21h DJ Enme Paixão/MA
Intervenções:
“Vivência Circense”, com O Circo Tá na Rua/MA
“Suicídio LGBT”, com Coletivo Curta Diversidade/MA
Performance Drag Queen, com o Coletivo Aquenda-se/MA



INTERVENÇÃO NO MUSEU HISTÓRICO



Nesta edição, a Aldeia apresenta uma experiência de intervenção em um importante aparelho cultural do Estado, o Museu Histórico e Artístico do Maranhão, através de ação conjunta entre a Aldeia, o MHAM e o MuCa - Museu Contemporâneo de Arte do Maranhão. A partir de uma proposição antropofágica, selecionamos dois projetos de site specifc para a exposição de longa duração, seguindo a proposta de “devorar” o museu, sua história e acervo. Ocupar o museu, repensar suas narrativas e modos de representação, aproxima a Aldeia do terreno híbrido das artes. A ação busca oxigenar a instituição, favorecendo a divulgação e reflexão crítica sobre o acervo a partir da inserção de novos discursos artísticos, reforçando a compreensão do Museu como espaço dinâmico, sempre aberto a ressignificações.
 


FEIRINHA CRIATIVA



Recorte!  - Livros , toalhas, cadernos de manuscritos e ilustração
My brechocleta – Comida Espanhola e Vinhos
Menelik Criações – Turbantes e acessorios
Faz teu nome – Camisetas,Bottons e Cds
Tranças e Afins – Penteados e maquiagem
Crioulices – Turbantes e acessórios
EvA'rtes – Artesanatos e Imas
Maranhezza - Camisetas
Pitomba Discos e Livros - Livros
Ateliê Helecari - Artesanato


PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO

Kd meu crepe? – Crepes e doces
Nycole pastel –Pastel, batata frita e churros gourmert
Coxinha Bragança - Coxinhas
Bike Burguer - Hamburguês
Bendito fruto – Lanches saudaveis
Doce Gicca – Bolo de pote, brigadeiros e mousse
Chocolarte -
brigadeiro
Empadaria -Brigadeiros
Doce Momento - Brigadeiros
Chef Gopa – Lanches vegetarianos
Suco da Fruta  - Sanduiches naturais
Zé Paleta – Paleta Mexicana


Cervejas artesanais

A casa do ogro
Troyana

 SE ENCONTRE NA ALDEIA



 
Chão SLZ - Rua Regente Bráulio, Nº 113, Centro
Fonte do Ribeirão - Rua do Ribeirão, S/N, CentroGaleria Trapiche Santo Ângelo - Avenida Vitorino Freire, s/n – Praia Grande (em frente ao Terminal de Integração)
Guest House - Rua da Palma, nº 142, Praia Grande
Laborarte - Rua Jansen Muller, Nº 42, Centro
Museu Histórico e Artístico do Maranhão - Rua do Sol, 302, CentroPequena Companhia de Teatro - Rua do Giz, Nº 295, Praia Grande
Teatro João do Vale - Rua da Estrela, Nº 283, Praia Grande
Centro de Criatividade Odylo Costa, filho Rua Rampa do Comércio, Nº 200, Beira Mar, Centro


29 de nov de 2016

11ª Aldeia Sesc Guajajara de Artes, uma Aldeia Antropofágica.




Múltipla, provocadora e em constante transformação, a 11ª Aldeia Sesc Guajajara de Artes abre seus caminhos para um novo ciclo, celebrando corpo, arte e território em um grandioso rito festivo. Nesta edição, inspirando-se na imagem de uma Aldeia Antropofágica, a Aldeia devora a cidade e a si própria, propondo um novo repertório de ações, fruto do amadurecimento de perspectivas e estratégias de difusão cultural.

Ao longo de uma década, o festival tem se fixado na agenda cultural da cidade como uma das principais vitrines para a produção artística do estado, possibilitando um valioso espaço de intercâmbio com importantes criadores do panorama nacional. Integrado à Rede Sesc de Intercâmbio e Difusão das Artes Cênicas por meio do Palco Giratório, o evento vai apresentar uma vasta programação, diversa e híbrida em linguagens artísticas, incluindo expressões da cultura popular local. O objetivo é garantir maior visibilidade à produção artística maranhense, com atenção aos processos de criação autoral e em arte contemporânea, bem como o fortalecimento dos circuitos alternativos e espaços independentes.

Nesse ano, as propostas para a 11ª Aldeia Sesc Guajajara dissolvem os contornos dos gêneros artísticos, explorando novos cenários para realização da mostra. Além dos shows musicais, mostras de cinema, exposições, intervenções urbanas, apresentações de espetáculos e performances, dentre outras ações, o festival oferece um conjunto de ações formativas que contribuem significativamente para a qualificação de profissionais, produtores, estudantes e comunidade em geral.

Após o êxito de sua edição comemorativa de 10 anos, a Aldeia mantém seu perfil inquietante, caleidoscópico e inovador, com uma programação que pretende fixar cada vez mais a marca Sesc na dinamização do calendário cultural do estado. 

A aldeia antropofágica, acontece de 02 a 08 de novembro. Fique de olho no lançamento da programação e participe conosco.


28 de nov de 2016

11ª Aldeia Sesc Guajajara de Artes vem aí

Celebrando corpo, arte e território em um grandioso rito festivo, a 11ª Aldeia Sesc Guajajara de Artes apresenta, em sua programação de abertura, o show "Eu vou fazer uma macumba pra te amarrar, maldito!" de Johnny Hooker/PE, pela primeira vez em São Luís.
“Uma mulher em fúria no corpo de um homem com os olhos marejados de lágrimas”, é assim que se define Johnny Hooker, músico pernambucano de 27 anos que tem causado alvoroço na música brasileira desde o lançamento do seu 2º álbum, “Eu Vou Fazer Uma Macumba pra Te Amarrar, Maldito!”(primeiro álbum solo), que figurou no topo das paradas do Itunes Brasil e de serviços de streaming como o Deezer e o Spotify.
Johnny vem no “contra-ataque da música pop brasileira”, como definiu a Revista Rolling Stone, Brasil, trazendo um trabalho que resgata o mais profundo do cancioneiro popular do país, e ritmos relegados pelo mainstream que produz popstars criados a imagem e semelhança de seus “duplos” estado-unidenses.
Frevo, samba e música romântica, na melhor fórmula dor-de-cotovelo se misturam ao rock e a refrões poderosos, criando um autêntico popstar a Brasileira. Seu trabalho tem atraído uma legião de fãs fervorosos por onde passa com vários shows de sua mais recente turnê “Macumba” com ingressos esgotados. Seus clipes já acumulam mais de 2 milhões de visualizações no Youtube, sendo o carro-chefe deles o da canção “Volta” (500 mil visualizações), que foi tema do longa-metragem “Tatuagem”, o filme brasileiro mais premiado de 2013.
Promovendo um trabalho que desafia gênero, linguagens e que questiona a própria identidade da música brasileira, Johnny é um artista para celebrar e principalmente preservar, em meio a tempos de uma nova onda de conservadorismo político e social no Brasil.
Coloca na agenda: 02 de dezembro, às 22h, na Praça Nauro Machado. Imperdível!

3 de dez de 2015

A Escrita do Deus e Cine Ocupação encerram a programação desta terça-feira

Explorando novos ambientes, a 10ª Aldeia Sesc Guajajara de Artes encontrou na Rua Cândido Mendes o local ideal para a realização do Cine Ocupação

TEXTO: GERALDO IENSEN / LIDENEY RIBEIRO

Pela programação de teatro desta terça-feira (1º) da 10ª Aldeia Sesc Guajajara de Artes, o ator Urias de Oliveira traz mais uma vez à cena o espetáculo “A escrita do Deus”, baseado em texto do escritor argentino Jorge Luís Borges, a peça mostra detalhes da colonização da América por meio das angústias do personagem Tzinacan, o último Sacerdote do Reino de Montezuma. Tzinacam é torturado e mantido preso por 20 anos. Sua única companhia é um tigre, que vive na cela ao lado. Em outro ponto da cidade, no complexo arquitetônico da antiga Fábrica Santa Eulália, artistas com seus projetores e muita música integrou o Cine Ocupação.
O espetáculo apresentado na sede da Pequena Companhia de Teatro retratou o drama do sacerdote que dedica seu tempo a decifrar nos desenhos da pele do tigre, o que ele julga ser a mensagem do conhecimento supremo, deixada ali para ser decifrada e divulgada por um ser iluminado. Tzinacam, de fato, decifra a “Escrita do Deus”, mas abre mão de usá-la por chegar à conclusão de que o homem ainda não está preparado pra recebê-la.
Atualmente produzido pela Cia. Tapete, Criações Cênicas, “A Escrita do Deus” foi apresentado, pela primeira vez, em 1998, no teatro Arthur Azevedo. Nesses 17 anos, o Espetáculo tem obtido boa repercussão junto ao público, devido a sua temática suscitar discussões e debates sobre a existência humana e sua relação com o sagrado, além da pesquisa e das técnicas utilizadas pelo ator na construção de sua personagem.
A experiência do tempo levou ator e espetáculo a transformações, por exemplo, o cenário e a música já mudaram. Urias de Oliveira, que também assina a direção do espetáculo, conta que o ator reconhece a escrita do seu Deus, e interfere no espetáculo, que cresceu também no tempo, e segundo ele, a história é contada por um ator mais ciente, que se aproxima cada vez mais de Tznacan, sem perder a visão do limite entre ator e personagem.
“A Escrita do Deus” tem assistência de encenação de Claudiana Cotrin, iluminação de Rosa Ewerton, figurino de Claudio Costa e música de Francisco Jara.
Explorando novos ambientes, a 10ª Aldeia Sesc Guajajara de Artes encontrou na Rua Cândido Mendes o local ideal para a realização do Cine Ocupação. A proposta do Sesc foi a realização simultânea de exibição de videoartes, discotecagem e o lançamento do documentário “Nas Margens do Riso: Quilombos de Alegria e Luta”, de Pedro Krum.
“A escolha do local foi resultado de uma pesquisa, a primeira opção foi a Fonte das Pedras, depois do Ribeirão, foi então que surgiu essa opção que se encaixou perfeitamente com a proposta devido à iluminação, a arquitetura, além de atender a proposta do Projeto de ocupação dos espaços públicos”, esclareceu Dinho Araújo, coordenador do Projeto.
No roteiro, discotecagem com DJ Kid, de São Paulo, deu início à programação, enquanto eram exibidos os vídeos: “Banho de Mar Banho de Sal Grosso”, de Jane Maciel; “Bloco 6 – Subtérreo”, de Eliaquim Maia e “Massa Estanque”, de Ramusyo Brasil”. Além dos três vídeos credenciados outros colaboradores participaram da programação.
O ápice da programação foi o lançamento do documentário “Nas Margens do Riso: Quilombos de Alegria e Luta”, dirigido e editado por Pedro Krum, um registro da experiência vivida pelo Teatro VagaMundo durante a circulação por nove comunidades quilombolas do Rio Grande do Sul, entre setembro e novembro de 2014. A chegada do grupo nos antigos povoados e as apresentações do palhaço Rabito são entrecortadas pelos depoimentos dos quilombolas sobre o cotidiano e a organização de cada comunidade. O resultado é um documentário com os relatos de nativos e passageiros sobre a vida nos quilombos com uma pitada de riso promovido pelo palhaço.

10º Aldeia Sesc Guajajara de Artes promove uma programação especial para o público infantil

Alunos da Educação Infantil do Sesc e bebês foram os contemplados pela programação da 10ª Aldeia Sesc Guajajara de Artes

TEXTO: ANDRÉ VIANNA / LIDENEY RIBEIRO

A Aldeia Sesc Guajajara de Arte dentro da sua programação ofereceu ao público infantil o espetáculo crianças Banana com Canela, com a Companhia Vagamundos, do Rio Grande do Sul. O espetáculo aconteceu na tarde da última terça-feira dia 1º de dezembro, na Área de Vivência do Sesc Deodoro. No dia seguinte, a programação contou com uma apresentação inédita de teatro para bebês com o espetáculo “CUCO - A linguagem dos bebês no teatro”, na Galeria Trapiche.


Banana com Canela que é do seguimento circense arrancou muitas gargalhadas do seu público com o palhaço Rabito, briguento, rabugento e cheio de estripulias envolve a plateia tentando solucionar seus problemas, mas acaba se complicando cada vez mais, porém sempre busca uma forma de encontrar nos seus fracassos sua maior alegria.

As turmas da Educação Infantil do Sesc foram privilegiadas com esse espetáculo onde um palhaço em uma bicicleta e umas bananas cheios de improvisos arrancaram sorrisos sinceros dos expectadores mirins.

Na quarta-feira (2), a Companhia Caixa de Elefante, do Rio Grande do Sul, reuniu um seleto público formado por espectadores de 0 a 3 anos que atentos se identificaram com as performances realizadas pelas atrizes Ana Luzia Bergmann e Viviana Schames.

O espetáculo “CUCO — A linguagem dos bebês no teatro”, que completou em 2015, 3 anos de apresentação, é resultado de uma pesquisa acerca das possibilidades de performance artística para um público muito especial. “Antes apresentávamos espetáculos infantis com falas, bruxas e outros personagens e muitos pais traziam bebês então vislumbramos a possibilidade de pensar algo para esse segmento”, conta Viviana.

A Companhia em parceria o pedagogo Paulo Fochi então desenvolveram uma apresentação em que os bebês são espectadores e ao mesmo tempo protagonistas e centro do processo de criação. “Utilizamos o teatro de animação com elementos de esconder e aparecer, em que as cores vão surgindo gradativamente, assim como novos elementos, nos momentos seguintes são de exploração, em que passamos a observar as crianças”, explicou Viviana e completou: “desse segundo momento, surgem novos movimentos que adequamos conforme observamos os bebês fazerem”.

SOBRE A ALDEIA

A Aldeia Sesc Guajajara de Artes é um projeto de continuidade no país. Integrante da Rede Sesc de Intercâmbio e Difusão das Artes Cênicas, o projeto caracteriza-se pela potência do confronto com o outro e o novo nas linguagens música, teatro, dança, literatura, artes visuais, cinema e circo. Essa reunião de elementos e características exprime o espírito que norteia o evento, marcado tanto pela expressividade da cultura popular, afro-brasileira e indígena, quanto pela arte contemporânea. Apresentando-se em formato de “Aldeia Cultural”, concentra uma programação artística-cultural para públicos variados. Em sua 10ª edição, promovida no período de 25 de novembro a 03 de dezembro nos municípios de São Luís e Raposa, a Aldeia Sesc Guajajara de Artes evidencia sua vocação multiculturalista através de uma ampla e rica programação fortemente marcada pelo diálogo com os coletivos e redes culturais.

Karina Buhr fecha programação da 10ª Aldeia Sesc Guajajara de Artes

Over12h começa ao meio dia com o som do Grupo Bossa Nossa, na unidade Sesc Deodoro e vai até meia noite finalizando com Karina Bhur, na Praça Nauro Machado

TEXTO: GERALDO IENSEN / EDIÇÃO: LIDENEY RIBEIRO

Após uma semana ocupando as cidades de São Luís e Raposa com um intercâmbio de diversas linguagens artísticas, a 10ª Aldeia Sesc Guajajara de Artes realizada pelo Sesc no Maranhão chega ao seu último dia e para encerrar promove uma programação com 12 horas de apresentações artísticas sem parar, começando ao meio dia com o som do Grupo Bossa Nossa, na unidade Sesc Deodoro e vai até meia noite finalizando com Karina Bhur, na Praça Nauro Machado.


A programação da noite inicia às 19 horas, com o Video Mapping “Amazônia Mapping”, da artista visual Roberta Carvalho. O cenário escolhido foi o prédio da Defensoria Pública ao lado da Praça Nauro Machado. O videomapping, considerado uma das técnicas visuais mais inovadoras da atualidade, é a projeção audiovisual em comumente aplicadas a estruturas, como edifícios e monumentos, em que as imagens “se dobram” com a arquitetura onde são exibidas.
Roberta Carvalho é artista visual, designer e produtora cultural. Estudou artes visuais na Universidade Federal do Pará. Vive em Belém, cidade onde nasceu. Desenvolve trabalhos na área de imagem, intervenção urbana e vídeo arte. 
Festivais de mapping têm sido realizados nos mais variados locais do mundo, como Londres, Genebra e Budapeste. No Brasil, os eventos ocorrerem no sudeste do país e chegaram recentemente à região Norte e Nordeste.


Simultanemanete, o Circo Tá na Rua realiza a intervenção de manipuladores de fogo, chamada “Fogo Prometeu”, com a inclusão de todas as técnicas circenses que usam manipulação de fogo em um número que tem como proposta remeter à antiga relação do homem com o fogo, desde o mito à história.


No palco montado na Praça Nauro Machado, o primeiro a embalar o público é o DJ Jorge Choairy. Em seguida, às 20 horas, acontece o Show “JazzEncontros”. Neste show, o grupo apresenta ao público o jazz cantado, bem como releituras de músicas brasileiras e blues com versões autorais. O grupo é formado pelo guitarrista Marcones Pinto, o cantor James Pierre, o baterista Francélio Cantanhede, a pianista Thais Sena e o baixista Paulo Pontes, sendo apontada pelos críticos da área como grande revelação no cenário musical maranhense.

Antes da Karina Buhr, a banda maranhense Casa Loca promete animar o público da Praça Nauro Machado. Uma das bandas mais criativas de São Luís, saída do Cohatrac, bairro que tem sido berço e palco de muita produção cultural. Além da Casa Loca o bairro criou o Sebo no Chão, também incluído na 10ª Aldeia Sesc Guajajara de Artes.
Poderíamos contar a história da banda Casa Loca por aquela música de Vinícius e Moraes: “era uma casa muito engraçada/ não tinha teto não tinha nada”, mas a verdade é que a casa loca é mais do que a casa engraçada de Vinícius. 
A banda Casa Loca surgiu por conta da “Casa Loca”, que era uma casa normal e comum do Cohatrac, porém deixou de ser comum quando virou ponto de encontro de vários artistas de São Luís, um povo criativo, ou como eles gostam de dizer “muito loucos”, que trazia diferentes gêneros musicais, que foram se misturando por lá. E foi em um desses encontros que surgiu a banda, dando voz a um dos endereços mais conhecidos do Cohatrac.
Formada por Adnon (guitarra e voz), F.Spotti (voz), Luciano (batera), Rafael (baixo), DJ Alladin (pick-ups) e Dark (percussão), a banda tem um elo com o hip hop e o andamento de ritm ‘nd poetry. Mas a banda faz uma bela mistura. Na faixa “Proibido para maiores”, um toque de reggae; em “Diabédiôba”, uma pinçada de maracatu. Além disso, faixa “AM PM”, é muito rica com seu arranjo amplo, com metais e vocais. A banda lançou seu primeiro disco “Um de Onze”, no final do ano passado.


Encerrando o OVER12 e a 10ª Aldeia Sesc Guajajara de Artes, a Praça Nauro Machado vai lotar para receber o show Selvática, com cantora, atriz e poeta Karina Buhr.
“Selvática” é o terceiro disco autoral de Karina Buhr, um trabalho guiado pela temática feminista e tem causado polêmicas desde o lançamento. A capa do álbum mostra a artista com seios descobertos, o que foi suficiente para contrariar a política do facebook contra a nudez e ter a exibição proibida nesta rede social. Mas a afirmação da liberdade feminina é o tema forte deste trabalho e tem cumprido a tarefa de levantar discussões, inclusive muita gente se fotografou na mesma condição de Karina em protesto pela proibição.
O disco tem personalidade forte também na levada, que vai do heavy metal ao o punk rock: Pic Nic, Esôfago e Cerca de Prédio. Essa última sobre a ocupação que destrói nossas cidades em nome do capital e do consumo.
No palco, Karina é acompanhada por MAU (baixo), Bruno Buarque (bateria), André Lima (teclados), Fernando Catatau (guitarra), Edgard Scandurra (guitarra) e Guizado (trompete). 

SOBRE A ALDEIA

A Aldeia Sesc Guajajara de Artes é um projeto de continuidade no país. Integrante da Rede Sesc de Intercâmbio e Difusão das Artes Cênicas, o projeto caracteriza-se pela potência do confronto com o outro e o novo nas linguagens música, teatro, dança, literatura, artes visuais, cinema e circo. Essa reunião de elementos e características exprime o espírito que norteia o evento, marcado tanto pela expressividade da cultura popular, afro-brasileira e indígena, quanto pela arte contemporânea. Apresentando-se em formato de “Aldeia Cultural”, concentra uma programação artística-cultural para públicos variados. Em sua 10ª edição, promovida no período de 25 de novembro a 03 de dezembro nos municípios de São Luís e Raposa, a Aldeia Sesc Guajajara de Artes evidencia sua vocação multiculturalista através de uma ampla e rica programação fortemente marcada pelo diálogo com os coletivos e redes culturais.